Na torcida 27/01/2013
Canindé – Portuguesa x Santo André

Portuguesa x Santo André

Para se transformar em Esquerdinha, torcedor-símbolo do Ramalhão, Eduardo Braghirolli perdeu seis empregos. Caminhoneiro, desviava suas rotas de entrega na direção das partidas. "Era mais forte que eu", diz. Aos 50 anos, Esquerdinha segue o time desde os 7, influenciado pelo primeiro presidente do clube, ex-vizinho.

Vai aos jogos sempre fantasiado com roupas confeccionadas por ele mesmo. Um tema por peleja. Contra o Botafogo-RP foi de bombeiro; Papai Noel azul no Natal. Já vestiu-se de noiva, promessa pelo acesso à Série A do Brasileiro, em 2008. Hoje assistiu à derrota contra a Lusa, no Canindé, pela A-2 do Paulista, com um terninho e óculos à la Zé Bonitinho.

Esquadrão Andreense

Portuguesa x Santo André

Campeão da Copa do Brasil em 2004, no ano seguinte o time do ABC disputou sua única Libertadores. Caiu na 1ª fase. Reservou, no entanto, uma aventura para Esquerdinha. Contra o Cerro Porteño, no Paraguai, foi o único torcedor visitante. "Fiquei sozinho contra 30 mil", orgulha-se o torcedor de seu melhor desvio de rota.